Advanced search options

Advanced Search Options 🞨

Browse by author name (“Author name starts with…”).

Find ETDs with:

in
/  
in
/  
in
/  
in

Written in Published in Earliest date Latest date

Sorted by

Results per page:

Sorted by: relevance · author · university · dateNew search

You searched for subject:(Pradosia). Showing records 1 – 3 of 3 total matches.

Search Limiters

Last 2 Years | English Only

No search limiters apply to these results.

▼ Search Limiters

1. Alessandra Azevedo Nascimento de Medeiros. Estudo da atividade das espécies amazônicas: Pradosia huberi Ducke. e Attalea excelsa Mart. sobre o sistema cardiovascular em ratos.

Degree: 2008, Universidade Federal da Paraíba

Os efeitos farmacológicos dos extratos etanólicos de Pradosia huberi (EPH) e Attalea excelsa (EAE) sobre o sistema cardiovascular, foram estudados em ratos usando técnicas in vivo e in vitro. EPH (5, 10 e 20 mg.Kg-1 i.v.) promoveu hipotensão (-5,60,5; -8,81,3 e - 32,66,6%, respectivamente) dose-dependente em ratos não anestesiados, acompanhada por bradicardia (-0,30,9; -4,42,2 e -45,36,0%, respectivamente) (n=6). Após tratamento agudo com um antagonista muscarínico (Atropina, 2 mg.Kg-1), a hipotensão (-5,00,8; - 6,40,9; -11,61,8%, respectivamente) e bradicardia (-1,20,4; -2,90,8 e -8,12,2%) foram significantemente atenuados. O hexametônio, um bloqueador ganglionar, também atenuou tais efeitos de EPH. Entretanto após L-NAME ambas as respostas não foram modificadas. Em anéis de artéria mesentérica superior isolada de rato, com endotélio intacto, EPH (1; 3; 10; 30 e 100g/mL) promoveu relaxamento das contrações induzidas por FEN (10 M) (CE50= 17,142,9; Emax= 87,82,9, n=8) de maneira dependente de concentração. Tal efeito foi abolido com a remoção do endotélio funcional, sugerindo o envolvimento de um mecanismo dependente do endotélio. Frações e a 2,3-diidromiricetina 3--L-raminosídeo, isolada de EPH, não relaxaram ou relaxaram com menos potencia e eficácia as preparação pré-contraídas com FEN. A curva concentração-resposta para EPH foi significantemente atenuada com redução do efeito máximo (Emax), na presença de L-NAME (100 M), ODQ (1M), KCl 20mM, indometacina(1M) + L-NAME (100M), 4-AP (1mM), BaCl2 (30 μM), TEA (1mM). Na presença de L-NAME (100M) + L-arginina (1mM) EPH relaxou as preparações sem alterar o Emax. Em anéis pré-contraídos com KCl 80mM EPH não induziu relaxamento. Já na presença de atropina (1M), indometacina (1M), glibenclamida (10M) e apamina (1μM) a curva para EPH não foi alterada. Em suma, concluímos que o efeito hipotensor de EPH envolve tanto sua ação vasorelaxante como também uma possível ativação indireta de receptores muscarínicos cardíacos e ainda que o efeito vascular de EPH pode envolver a ativação da via eNOS-NO-GMPc, além da participação dos canais para potássio do tipo BKCa, Kv e Kir na musculatura lisa vascular. EAE (5; 10; 20; 40 e 60 mg/kg i.v.) induziu hipotensão (-3,71,2; -6,12,3; -8,51,3; -9,91,6 e -11,21,8%, respectivamente) e taquicardia (3,81,7; 4,01,6; 3,82,0; 3,73,1 e 12,42,7%, respectivamente) (n=5), provavelmente de origem reflexa. Em anéis de artéria mesentérica superior isolada de rato, EAE (1; 3; 10; 30; 100; 300; 500 e 1000 g/mL) induziu relaxamento dependente da concentração tanto em anéis intactos (CE50 = 172,336,9 , Emáx = 1000,0%) como desnudos de endotélio (CE50 = 166,731,4, Emáx = 92,27,1%), pré-contraídos com 10 M de FEN, com mesma potencia e eficácia (n=6). Sugerindo EAE age por mecanismo independente do endotélio. Os experimentos subseqüentes procederam-se em preparações sem endotélio. Diante da incubação com KCl 20 mM, o efeito… Advisors/Committee Members: Margareth de Fátima Formiga Melo Diniz, Isac Almeida de Medeiros.

Subjects/Keywords: Attalea excelsa; vasorelaxante; Attalea excelsa; mesenteric artery; Pradosia huberi; artéria mesentérica; FARMACOLOGIA; Pradosia huberi; vasorelaxante

Record DetailsSimilar RecordsGoogle PlusoneFacebookTwitterCiteULikeMendeleyreddit

APA · Chicago · MLA · Vancouver · CSE | Export to Zotero / EndNote / Reference Manager

APA (6th Edition):

Medeiros, A. A. N. d. (2008). Estudo da atividade das espécies amazônicas: Pradosia huberi Ducke. e Attalea excelsa Mart. sobre o sistema cardiovascular em ratos. (Thesis). Universidade Federal da Paraíba. Retrieved from http://bdtd.biblioteca.ufpb.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=1277

Note: this citation may be lacking information needed for this citation format:
Not specified: Masters Thesis or Doctoral Dissertation

Chicago Manual of Style (16th Edition):

Medeiros, Alessandra Azevedo Nascimento de. “Estudo da atividade das espécies amazônicas: Pradosia huberi Ducke. e Attalea excelsa Mart. sobre o sistema cardiovascular em ratos.” 2008. Thesis, Universidade Federal da Paraíba. Accessed September 22, 2020. http://bdtd.biblioteca.ufpb.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=1277.

Note: this citation may be lacking information needed for this citation format:
Not specified: Masters Thesis or Doctoral Dissertation

MLA Handbook (7th Edition):

Medeiros, Alessandra Azevedo Nascimento de. “Estudo da atividade das espécies amazônicas: Pradosia huberi Ducke. e Attalea excelsa Mart. sobre o sistema cardiovascular em ratos.” 2008. Web. 22 Sep 2020.

Vancouver:

Medeiros AANd. Estudo da atividade das espécies amazônicas: Pradosia huberi Ducke. e Attalea excelsa Mart. sobre o sistema cardiovascular em ratos. [Internet] [Thesis]. Universidade Federal da Paraíba; 2008. [cited 2020 Sep 22]. Available from: http://bdtd.biblioteca.ufpb.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=1277.

Note: this citation may be lacking information needed for this citation format:
Not specified: Masters Thesis or Doctoral Dissertation

Council of Science Editors:

Medeiros AANd. Estudo da atividade das espécies amazônicas: Pradosia huberi Ducke. e Attalea excelsa Mart. sobre o sistema cardiovascular em ratos. [Thesis]. Universidade Federal da Paraíba; 2008. Available from: http://bdtd.biblioteca.ufpb.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=1277

Note: this citation may be lacking information needed for this citation format:
Not specified: Masters Thesis or Doctoral Dissertation

2. Elane Cristina Silva dos Santos. Avaliação do potencial tóxico do extrato hidroalcoólico de Pradosia huberi Ducke sobre o sistema reprodutor masculino e órgãos vitais de ratos e sua prole.

Degree: 2012, Universidade Federal da Paraíba

Desde a antiguidade as plantas são utilizadas com fins medicinais para o tratamento, cura e prevenção de doenças. Pradosia huberi Ducke (Sapotaceae) é uma planta medicinal comumente usada pelas comunidades amazônicas por suas atividades gastroprotetora e antiulcerogênica. Considerando-se o uso popular dessa espécie e a presença de compostos bioativos com potencial tóxico sobre o sistema reprodutor masculino, além da inexistência de estudos científicos de toxicidade reprodutiva dessa espécie, esse trabalho teve como propósito investigar os efeitos tóxicos de P. huberi sobre a fertilidade, órgãos vitais e prole de ratos. Ratos Wistar foram divididos em grupos controle e tratados (n = 15). Os animais dos grupos controle e tratados receberam, respectivamente, água destilada e o extrato hidroalcoólico das cascas do caule de P. huberi (EHA-PH) nas doses de 1,22, 6,1 e 30,5 mg/kg de peso corporal, por via oral, uma vez ao dia, por 63 dias, período que compreende o ciclo espermatogênico completo dessa espécie mais o período de trânsito epididimário, e foram eutanasiados no 64 dia. Para a investigação do potencial tóxico do EHA-PH sobre o sistema reprodutor de ratos, os seguintes parâmetros foram avaliados: ocorrência de sinais clínicos gerais de toxicidade, consumo diário de água e ração, análises bioquímicas e hematológicas, peso corporal, de órgãos vitais, do sistema reprodutor e das glândulas sexuais acessórias, produção de espermatozoides, comportamento sexual, genotoxicidade e desenvolvimento geral, reflexológico e comportamental da prole. A exposição oral ao EHA-PH nas doses de 1,22 e 6,1 mg/kg não alterou o peso corporal de ratos, entretanto a administração da dose de 30,5 mg/kg causou redução do peso corporal dos animais a partir do 35 dia de tratamento. Esse achado foi corroborado pela diminuição na ingestão de ração por esses animais. O peso de rins, fígado, pulmão, cérebro, hipófise, testículo, epidídimo, vesícula seminal e próstáta dos animais tratados não se alteraram em relação aos pesos dos animais do grupo controle. A administração do extrato não causou mudanças significativas no perfil bioquímico e hematológico dos ratos. A produção de gametas e a sua morfologia não diferiram entre os grupos controle e tratados. O tratamento com o EHA-PH também não alterou o comportamento sexual masculino, porém provocou um aumento de 14,3 % e 10,8% nos índices de perdas pré-implantação e uma redução de 14,3 % e 10,8% nos índices de implantação, além de uma redução de 5,6% e 8,2% nos índices de perdas pós-implantação das ratas acasaladas com ratos que receberam 6,1 mg/kg e 30,5 mg/kg do EHA-PH, respectivamente. Anormalidades morfológicas foram observadas em natimortos descendentes de progenitoras acasaladas com ratos expostos à dose de 30 mg/kg do EHA-PH. O desenvolvimento geral, reflexológico e comportamental da prole não foram alterados pelo tratamento. Os resultados indicam uma possível ação tóxica do EHA-PH em ratos Wistar, com indícios de efeito mutagênico e adverso no desenvolvimento fetal, evidenciado no modelo… Advisors/Committee Members: Margareth de Fátima Formiga Melo Diniz.

Subjects/Keywords: FARMACOLOGIA; Pradosia huberi; fertility; rats; reproductive toxicity; ratos; fertilidade; Pradosia huberi; toxicidade reprodutiva

Record DetailsSimilar RecordsGoogle PlusoneFacebookTwitterCiteULikeMendeleyreddit

APA · Chicago · MLA · Vancouver · CSE | Export to Zotero / EndNote / Reference Manager

APA (6th Edition):

Santos, E. C. S. d. (2012). Avaliação do potencial tóxico do extrato hidroalcoólico de Pradosia huberi Ducke sobre o sistema reprodutor masculino e órgãos vitais de ratos e sua prole. (Thesis). Universidade Federal da Paraíba. Retrieved from http://bdtd.biblioteca.ufpb.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=2245

Note: this citation may be lacking information needed for this citation format:
Not specified: Masters Thesis or Doctoral Dissertation

Chicago Manual of Style (16th Edition):

Santos, Elane Cristina Silva dos. “Avaliação do potencial tóxico do extrato hidroalcoólico de Pradosia huberi Ducke sobre o sistema reprodutor masculino e órgãos vitais de ratos e sua prole.” 2012. Thesis, Universidade Federal da Paraíba. Accessed September 22, 2020. http://bdtd.biblioteca.ufpb.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=2245.

Note: this citation may be lacking information needed for this citation format:
Not specified: Masters Thesis or Doctoral Dissertation

MLA Handbook (7th Edition):

Santos, Elane Cristina Silva dos. “Avaliação do potencial tóxico do extrato hidroalcoólico de Pradosia huberi Ducke sobre o sistema reprodutor masculino e órgãos vitais de ratos e sua prole.” 2012. Web. 22 Sep 2020.

Vancouver:

Santos ECSd. Avaliação do potencial tóxico do extrato hidroalcoólico de Pradosia huberi Ducke sobre o sistema reprodutor masculino e órgãos vitais de ratos e sua prole. [Internet] [Thesis]. Universidade Federal da Paraíba; 2012. [cited 2020 Sep 22]. Available from: http://bdtd.biblioteca.ufpb.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=2245.

Note: this citation may be lacking information needed for this citation format:
Not specified: Masters Thesis or Doctoral Dissertation

Council of Science Editors:

Santos ECSd. Avaliação do potencial tóxico do extrato hidroalcoólico de Pradosia huberi Ducke sobre o sistema reprodutor masculino e órgãos vitais de ratos e sua prole. [Thesis]. Universidade Federal da Paraíba; 2012. Available from: http://bdtd.biblioteca.ufpb.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=2245

Note: this citation may be lacking information needed for this citation format:
Not specified: Masters Thesis or Doctoral Dissertation

3. Araujo, Mário Henrique Terra. Filogenia, Biogeografia e Taxonomia de Pradosia (Sapotaceae, Chrysophylloideae).

Degree: 2013, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia

O gênero Pradosia (Sapotaceae, Chrysophylloideae) compreende 23 espécies com hábito variando de arbustos geófilos, arvoretas à árvores de dossel com altura superior a 35 m. O gênero é restrito à América do Sul, com apenas uma única espécie se estendendo até o Panamá e Costa Rica. As espécies podem ser encontradas em uma variedade de habitats, incluindo florestas úmidas e decíduas na Amazônia, costa Atlântica Brasileira e Andes. Estudos prévios, combinando dados moleculares e morfologia de poucas espécies de Pradosia indicaram que o gênero é monofilético, excluindo a espécie Africana P. spinosa. O presente trabalho apresenta os resultados de um estudo mais aprofundado de Pradosia, com uma maior amostragem das espécies e que teve como objetivos: (1) obter uma hipótese filogenética para Pradosia, com utilização de dados moleculares; (2) estimar o tempo de divergência dos clados e discutir a biogeografia histórica do grupo; (3) reconstruir a evolução de caracteres morfológicos selecionados, considerados úteis para o reconhecimento das espécies dentro do gênero; (4) investigar a evolução da preferência do habitat para as espécies do gênero; (5) atualizar a taxonomia do grupo com base nos resultados das análises moleculares, morfológicas, e de estudos de campo. Os resultados deste trabalho são apresentados em três capítulos. No primeiro capítulo é apresentada a filogenia molecular de Pradosia, reconstruída com utilização de dois marcadores moleculares, ITS e ETS. Esta filogenia é então utilizada como base para explorar a evolução de caracteres morfológicos e da preferência de habitat, bem como discutir o padrão biogeográfico do gênero. No segundo capítulo, são apresentadas as novas espécies para Pradosia. Por fim, no terceiro capítulo é apresentada uma sinopse taxonômica do gênero, com uma atualização da distribuição geográfica das espécies e uma chave de identificação, seguida por uma curta descrição morfológica de todas as espécies do grupo, além de informações obtidas em campo.

The genus Pradosia (Sapotaceae, Chrysophylloideae) comprises 23 species that vary in habit from geoxylic shrubs to medium-sized and tall canopy trees up to 35 m. The genus is confined to South America, one of which also extends into Panama and Costa Rica. The species are distributed across a wide variety of habitats, including savannas and evergreen to deciduous forests in the Amazon region, the Brazilian Atlantic coast, and the Andes. Previous studies including a few species of Pradosia have indicated that the genus is monophyletic, provided that the African species P. spinosa, is excluded. This work presents the results of a new phylogenetic study of Pradosia, with a broader species sampling and aimed to: (1) produce a phylogenetic hypothesis for the genus Pradosia using molecular data; (2) estimate species divergence times and biogeographical history; (3) reconstruct the evolution of some morphological traits that have been considered useful in distinguishing species within the genus; (4) investigate the evolution of habitat preference; (5)…

Advisors/Committee Members: Faria, Aparecida Donisete de, Vicentini, Alberto, Ribas, Camila Cherem, Clement, Charles Roland, Hopkins, Michael John Gilbert, Fiaschi, Pedro, Fiaschi, Pedro.

Subjects/Keywords: Sapotaceae; Pradosia; Neotropics; Molecular dating; Biogeography; CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::BOTANICA

Record DetailsSimilar RecordsGoogle PlusoneFacebookTwitterCiteULikeMendeleyreddit

APA · Chicago · MLA · Vancouver · CSE | Export to Zotero / EndNote / Reference Manager

APA (6th Edition):

Araujo, M. H. T. (2013). Filogenia, Biogeografia e Taxonomia de Pradosia (Sapotaceae, Chrysophylloideae). (Doctoral Dissertation). Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Retrieved from http://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/1038

Chicago Manual of Style (16th Edition):

Araujo, Mário Henrique Terra. “Filogenia, Biogeografia e Taxonomia de Pradosia (Sapotaceae, Chrysophylloideae).” 2013. Doctoral Dissertation, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Accessed September 22, 2020. http://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/1038.

MLA Handbook (7th Edition):

Araujo, Mário Henrique Terra. “Filogenia, Biogeografia e Taxonomia de Pradosia (Sapotaceae, Chrysophylloideae).” 2013. Web. 22 Sep 2020.

Vancouver:

Araujo MHT. Filogenia, Biogeografia e Taxonomia de Pradosia (Sapotaceae, Chrysophylloideae). [Internet] [Doctoral dissertation]. Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia; 2013. [cited 2020 Sep 22]. Available from: http://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/1038.

Council of Science Editors:

Araujo MHT. Filogenia, Biogeografia e Taxonomia de Pradosia (Sapotaceae, Chrysophylloideae). [Doctoral Dissertation]. Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia; 2013. Available from: http://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/1038

.