Advanced search options

Advanced Search Options 🞨

Browse by author name (“Author name starts with…”).

Find ETDs with:

in
/  
in
/  
in
/  
in

Written in Published in Earliest date Latest date

Sorted by

Results per page:

Sorted by: relevance · author · university · dateNew search

You searched for subject:(Hipermetropia). Showing records 1 – 2 of 2 total matches.

Search Limiters

Last 2 Years | English Only

No search limiters apply to these results.

▼ Search Limiters


Universidade do Minho

1. Barros, Daniela Borlido. Estudo epidemiológico das ametropias em Portugal II .

Degree: 2013, Universidade do Minho

Em Portugal estima-se que 4 milhões de pessoas sofram de problemas visuais (cerca de 40% da população). Este número mostra que se trata de uma questão importante de saúde pública. A inexistência de dados epidemiológicos sobre a prevalência das ametropias é uma lacuna grave na caraterização do problema, torna urgente a realização deste tipo de estudos. O objetivo deste trabalho foi o cálculo da prevalência das ametropias em Portugal Continental e Regiões Autónomas. Através de dois inquéritos recolheu-se a informação sobre a correção refrativa usada. No primeiro inquérito foram analisadas 1035 prescrições optométricas respeitantes a indivíduos com idades entre os 4 e 96 anos. No segundo inquérito foram obtidos, via telefone, os dados do erro refrativo de 652 indivíduos. A partir da primeira amostra obteve-se a prevalências das ametropias nas prescrições optométricas (a presbicia não foi considerada) e da segunda amostra a prevalência do uso da refração para longe na população Portuguesa. A partir destas duas prevalências obteve-se a prevalência das ametropias na população Portuguesa. Estima-se que 1 464 000 portugueses tenham astigmatismo ≥+1,00 D, 220 000 tenham hipermetropia ≥+3,00 D, 1 917 000 tenham miopia ≤-1,00 D e 285 tenham miopia ≤-5,00 D. Este trabalho fornece valores de referência úteis para conhecer a distribuição das ametropias em Portugal. Os erros refrativos afetam aproximadamente um terço da população nacional. A miopia foi a ametropia com maior prevalência, em concordância com estudos anteriores. Advisors/Committee Members: Baptista, António M. G (advisor), Macedo, António Filipe (advisor).

Subjects/Keywords: Prevalência de ametropias; Erros refrativos; Dados epidemiológicos; Portugal; Hipermetropia; Miopia; Astigmatismo

Record DetailsSimilar RecordsGoogle PlusoneFacebookTwitterCiteULikeMendeleyreddit

APA · Chicago · MLA · Vancouver · CSE | Export to Zotero / EndNote / Reference Manager

APA (6th Edition):

Barros, D. B. (2013). Estudo epidemiológico das ametropias em Portugal II . (Masters Thesis). Universidade do Minho. Retrieved from http://hdl.handle.net/1822/30592

Chicago Manual of Style (16th Edition):

Barros, Daniela Borlido. “Estudo epidemiológico das ametropias em Portugal II .” 2013. Masters Thesis, Universidade do Minho. Accessed January 24, 2021. http://hdl.handle.net/1822/30592.

MLA Handbook (7th Edition):

Barros, Daniela Borlido. “Estudo epidemiológico das ametropias em Portugal II .” 2013. Web. 24 Jan 2021.

Vancouver:

Barros DB. Estudo epidemiológico das ametropias em Portugal II . [Internet] [Masters thesis]. Universidade do Minho; 2013. [cited 2021 Jan 24]. Available from: http://hdl.handle.net/1822/30592.

Council of Science Editors:

Barros DB. Estudo epidemiológico das ametropias em Portugal II . [Masters Thesis]. Universidade do Minho; 2013. Available from: http://hdl.handle.net/1822/30592

2. Debert, Iara. Componentes refrativos da hipermetropia em crianças com ambliopia por esotropia.

Degree: PhD, Oftalmologia, 2012, University of São Paulo

Objetivo: Estudar os componentes refrativos da hipermetropia em crianças com ambliopia por esotropia, comparando os olhos amblíopes com os olhos contralaterais. Métodos: Foram incluídos 37 pacientes de 5 a 8 anos de idade, com hipermetropia bilateral e ambliopia por esotropia. Foi realizada avaliação oftalmológica completa, incluindo refratometria sob cicloplegia, ceratometria e biometria ultrassonográfica modo A. Foram registrados profundidade da câmara anterior, espessura do cristalino, profundidade da câmara vítrea e comprimento axial total. O poder refrativo do cristalino foi calculado pelas equações de Bennett. Para comparar erro refrativo, poder da córnea, poder calculado do cristalino e componentes ecobiométricos entre os olhos amblíopes e os olhos contralaterais foi empregado o teste t de Student pareado. Para avaliar a relação entre os principais componentes refrativos individuais e o erro refrativo foram empregados o coeficiente de correlação de Pearson e a análise de regressão linear. Foram construídos também modelos multivariados, incluindo comprimento axial, poder da córnea e poder do cristalino. Resultados: Os olhos amblíopes apresentaram hipermetropia mais alta, menor poder da córnea, maior poder do cristalino, menor profundidade da câmara vítrea e menor comprimento axial. Não houve diferença entre os olhos quanto à profundidade da câmara anterior ou à espessura do cristalino. A variável que apresentou correlação mais forte com o erro refrativo foi a razão comprimento axial/raio de curvatura da córnea (r = -0.92, p < 0.001 nos olhos amblíopes e r = - 0.87, p < 0.001 nos olhos contralaterais). O comprimento axial representou 39,2% da explicação da variabilidade do erro refrativo nos olhos amblíopes e 35,5% nos olhos contralaterais. O modelo que combinou comprimento axial e poder da córnea explicou 85,7% e 79,6% da variabilidade do erro refrativo, respectivamente. Houve correlação significante entre comprimento axial e poder da córnea, indicando diminuição do poder da córnea com o aumento do comprimento axial e os coeficientes de correlação foram semelhantes entre os olhos amblíopes (r = -0.53, p <0.001) e os olhos contralaterais (r = -0.57, p < 0.001). Houve correlação significante entre comprimento axial e poder do cristalino, indicando diminuição do poder do cristalino com o aumento do comprimento axial e os coeficientes de correlação também foram semelhantes entre os olhos amblíopes (r = -0.72, p < 0.001) e os olhos contralaterais (r = -0.69, p < 0.001). Conclusão: As correlações entre os principais componentes refrativos e sua contribuição individual para o erro refrativo foram semelhantes nos olhos amblíopes e nos olhos contralaterais de crianças com esotropia, a despeito da hipermetropia mais alta nos olhos amblíopes

Purpose: To study the refractive components of hyperopia in children with esotropic amblyopia, comparing amblyopic eyes with fellow eyes. Methods: Thirty-seven patients (5 to 8 years old) with bilateral hyperopia and esotropic amblyopia underwent a comprehensive ophthalmic…

Advisors/Committee Members: Alves, Milton Ruiz.

Subjects/Keywords: Ambliopia; Amblyopia; Axial length/eye; Comprimento axial do olho; Esotropia; Esotropia; Hipermetropia; Hyperopia; Ultrasonography; Ultrassonografia

Record DetailsSimilar RecordsGoogle PlusoneFacebookTwitterCiteULikeMendeleyreddit

APA · Chicago · MLA · Vancouver · CSE | Export to Zotero / EndNote / Reference Manager

APA (6th Edition):

Debert, I. (2012). Componentes refrativos da hipermetropia em crianças com ambliopia por esotropia. (Doctoral Dissertation). University of São Paulo. Retrieved from http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5149/tde-11072012-143443/ ;

Chicago Manual of Style (16th Edition):

Debert, Iara. “Componentes refrativos da hipermetropia em crianças com ambliopia por esotropia.” 2012. Doctoral Dissertation, University of São Paulo. Accessed January 24, 2021. http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5149/tde-11072012-143443/ ;.

MLA Handbook (7th Edition):

Debert, Iara. “Componentes refrativos da hipermetropia em crianças com ambliopia por esotropia.” 2012. Web. 24 Jan 2021.

Vancouver:

Debert I. Componentes refrativos da hipermetropia em crianças com ambliopia por esotropia. [Internet] [Doctoral dissertation]. University of São Paulo; 2012. [cited 2021 Jan 24]. Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5149/tde-11072012-143443/ ;.

Council of Science Editors:

Debert I. Componentes refrativos da hipermetropia em crianças com ambliopia por esotropia. [Doctoral Dissertation]. University of São Paulo; 2012. Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5149/tde-11072012-143443/ ;

.