Advanced search options

Advanced Search Options 🞨

Browse by author name (“Author name starts with…”).

Find ETDs with:

in
/  
in
/  
in
/  
in

Written in Published in Earliest date Latest date

Sorted by

Results per page:

Sorted by: relevance · author · university · dateNew search

You searched for +publisher:"Universidade do Minho" +contributor:("Portela, Pedro"). Showing records 1 – 3 of 3 total matches.

Search Limiters

Last 2 Years | English Only

No search limiters apply to these results.

▼ Search Limiters


Universidade do Minho

1. Barbosa, Renato Hennys Diniz. O perfil académico do profissional de comunicação e a expectativa do mercado de trabalho .

Degree: 2016, Universidade do Minho

O mercado audiovisual cresceu muito nos últimos anos em todo o mundo. O perfil profissional formado para preencher esse mercado surge de maneiras variadas, e a formação formal nem sempre é determinante para trabalhar no ramo audiovisual. Características pessoais como vocação e talento podem ser fator relevante para trabalhar neste mercado tão específico. O presente relatório começa por descrever e analisar o estágio desenvolvido na Creative Lemons, em Braga; de seguida, apresenta o estudo realizado após e à partir dessa experiência e do questionamento que nos provocou. Com base na leitura e análise dos contributos de um conjunto de autores, pretendeu-se perceber, através de dados recolhidos com a aplicação de um inquérito online, quais características e formações são relevantes para o ambiente de trabalho audiovisual. Também buscou-se compreender como o ambiente externo influência no discernimento do talento e vocação no perfil profissional dos funcionários entrevistados. Os dados obtidos permitem-nos perceber que a vocação e o talento são características muito relevantes no perfil profissional audiovisual. Relativamente às influências externas na perceção da vocação e talento para trilhar um percurso profissional nessa área, foi possível compreender que a maior influenciador é o consumo de produtos audiovisuais. Quanto aos tipos de formação e suas relevâncias no mercado audiovisual pudemos constatar um desajuste entre a formação acadêmica e as reais necessidades do mercado. Advisors/Committee Members: Portela, Pedro (advisor).

Record DetailsSimilar RecordsGoogle PlusoneFacebookTwitterCiteULikeMendeleyreddit

APA · Chicago · MLA · Vancouver · CSE | Export to Zotero / EndNote / Reference Manager

APA (6th Edition):

Barbosa, R. H. D. (2016). O perfil académico do profissional de comunicação e a expectativa do mercado de trabalho . (Masters Thesis). Universidade do Minho. Retrieved from http://hdl.handle.net/1822/43404

Chicago Manual of Style (16th Edition):

Barbosa, Renato Hennys Diniz. “O perfil académico do profissional de comunicação e a expectativa do mercado de trabalho .” 2016. Masters Thesis, Universidade do Minho. Accessed May 20, 2019. http://hdl.handle.net/1822/43404.

MLA Handbook (7th Edition):

Barbosa, Renato Hennys Diniz. “O perfil académico do profissional de comunicação e a expectativa do mercado de trabalho .” 2016. Web. 20 May 2019.

Vancouver:

Barbosa RHD. O perfil académico do profissional de comunicação e a expectativa do mercado de trabalho . [Internet] [Masters thesis]. Universidade do Minho; 2016. [cited 2019 May 20]. Available from: http://hdl.handle.net/1822/43404.

Council of Science Editors:

Barbosa RHD. O perfil académico do profissional de comunicação e a expectativa do mercado de trabalho . [Masters Thesis]. Universidade do Minho; 2016. Available from: http://hdl.handle.net/1822/43404


Universidade do Minho

2. Ferreira, José Afonso Alves. Linguagens sonora, visual e verbal no Facebook .

Degree: 2018, Universidade do Minho

Este relatório visa refletir de modo crítico os três meses de estágio curricular decorridos. Através de uma listagem das empresas-cliente da Bazooka, serão expostos os projetos desenvolvidos, assim como algumas autopropostas e trabalhos internos, revelando deste modo as áreas de produção audiovisual exploradas. De acordo com Lucia Santaella, “há apenas três matrizes lógicas, a partir das quais, por processos de combinações e misturas, originam-se todas as formas possíveis de linguagem e processos de comunicação. Essas matrizes são: a sonora, a visual e a verbal” (Santaella, 2007, p. 76). Num registo analítico e reflexivo, com base em suporte teórico e exemplos práticos, este relatório aprofundará a relação entre as linguagens — sonora, visual e verbal — no contexto publicitário da rede social Facebook. No final, uma das três matrizes realçarse- á, devido à sua multiformidade e predominância no mundo digital. Advisors/Committee Members: Portela, Pedro (advisor).

Subjects/Keywords: Linguagem; Hibridização; Digital; Facebook; Visual; Language; Hybridization

Record DetailsSimilar RecordsGoogle PlusoneFacebookTwitterCiteULikeMendeleyreddit

APA · Chicago · MLA · Vancouver · CSE | Export to Zotero / EndNote / Reference Manager

APA (6th Edition):

Ferreira, J. A. A. (2018). Linguagens sonora, visual e verbal no Facebook . (Masters Thesis). Universidade do Minho. Retrieved from http://hdl.handle.net/1822/58869

Chicago Manual of Style (16th Edition):

Ferreira, José Afonso Alves. “Linguagens sonora, visual e verbal no Facebook .” 2018. Masters Thesis, Universidade do Minho. Accessed May 20, 2019. http://hdl.handle.net/1822/58869.

MLA Handbook (7th Edition):

Ferreira, José Afonso Alves. “Linguagens sonora, visual e verbal no Facebook .” 2018. Web. 20 May 2019.

Vancouver:

Ferreira JAA. Linguagens sonora, visual e verbal no Facebook . [Internet] [Masters thesis]. Universidade do Minho; 2018. [cited 2019 May 20]. Available from: http://hdl.handle.net/1822/58869.

Council of Science Editors:

Ferreira JAA. Linguagens sonora, visual e verbal no Facebook . [Masters Thesis]. Universidade do Minho; 2018. Available from: http://hdl.handle.net/1822/58869


Universidade do Minho

3. Dias, Sérgio Diogo Carneiro. Os motion graphics no panorama da comunicação visual digital e o novo papel do designer: o estudo de caso da Samsys .

Degree: 2017, Universidade do Minho

Numa era onde o digital e o culto da imagem dominam o nosso consumo de conteúdos, diversas novas ferramentas comunicacionais expandiram-se, desenvolvendo, criando ou aperfeiçoando os seus métodos. Neste panorama, a comunicação visual mostrou-se como sendo umas das áreas a fruir, com alguma intensidade, neste novo ambiente de informação visual. Com este contexto estabelecido e com o intuito de facilitar o consumo da enorme quantidade de informações provenientes da expansão do digital, um novo campo visual emergiu: os motion graphics. Ao manipular vídeo, ilustrações e tipografia em movimento, acompanhados por sons vigorosos para uma mais eficaz e interativa transmissão de informação, os motion graphics expandiram-se, intensamente, no cenário comunicativo. Contudo, há medida que o seu domínio se solidificou, diversos académicos questionaram a integridade do uso dos mesmos. Aquela ferramenta que, inicialmente, pretendia tornar o processo de comunicação mais eficaz, depressa colocou o aspeto estético dos seus produtos numa posição primordial e dominante. O design deixava de estar ao serviço da comunicação, rompendo com o principio base da comunicação visual. A própria posição e papel do designer começou a ser vista, no mundo profissional, como algo ligado a uma componente, preferencialmente, artística. Ora, foi esta última perspetiva que foi observada no estágio curricular exercido na Samsys e alvo de estudo no presente relatório. A precaução comunicativa na elaboração dos produtos em motion graphics na empresa e no papel do designer na elaboração dos mesmos era inexistente. Com esta problemática estabelecida, o presente relatório procurou compreender se, de facto, a realidade observada correspondia aos ideais seguidos pela empresa. Através de uma análise de conteúdo e de entrevistas realizadas a membros da Samsys, verificou-se que a empresa detém, em grande parte, uma falta de conhecimentos na produção de conteúdos audiovisuais, não conseguindo comunicar, eficazmente, a sua mensagem, com um público. Apoiada numa lógica visual, segue um raciocínio de venda dos seus produtos e dos seus ideias – como seria de esperar de uma instituição que procura o lucro – mas fá-lo provocando erros na sua comunicação. Ao designer é, deste modo, atribuída uma função de vendedor, distanciando-se do cargo ideal comunicativo defendido no mundo académico. Advisors/Committee Members: Portela, Pedro (advisor).

Subjects/Keywords: Comunicação visual; Digital; Motion graphics; Designer; Visual communication; Motion graphics

Record DetailsSimilar RecordsGoogle PlusoneFacebookTwitterCiteULikeMendeleyreddit

APA · Chicago · MLA · Vancouver · CSE | Export to Zotero / EndNote / Reference Manager

APA (6th Edition):

Dias, S. D. C. (2017). Os motion graphics no panorama da comunicação visual digital e o novo papel do designer: o estudo de caso da Samsys . (Masters Thesis). Universidade do Minho. Retrieved from http://hdl.handle.net/1822/53255

Chicago Manual of Style (16th Edition):

Dias, Sérgio Diogo Carneiro. “Os motion graphics no panorama da comunicação visual digital e o novo papel do designer: o estudo de caso da Samsys .” 2017. Masters Thesis, Universidade do Minho. Accessed May 20, 2019. http://hdl.handle.net/1822/53255.

MLA Handbook (7th Edition):

Dias, Sérgio Diogo Carneiro. “Os motion graphics no panorama da comunicação visual digital e o novo papel do designer: o estudo de caso da Samsys .” 2017. Web. 20 May 2019.

Vancouver:

Dias SDC. Os motion graphics no panorama da comunicação visual digital e o novo papel do designer: o estudo de caso da Samsys . [Internet] [Masters thesis]. Universidade do Minho; 2017. [cited 2019 May 20]. Available from: http://hdl.handle.net/1822/53255.

Council of Science Editors:

Dias SDC. Os motion graphics no panorama da comunicação visual digital e o novo papel do designer: o estudo de caso da Samsys . [Masters Thesis]. Universidade do Minho; 2017. Available from: http://hdl.handle.net/1822/53255

.