Advanced search options

Advanced Search Options 🞨

Browse by author name (“Author name starts with…”).

Find ETDs with:

in
/  
in
/  
in
/  
in

Written in Published in Earliest date Latest date

Sorted by

Results per page:

Sorted by: relevance · author · university · dateNew search

You searched for +publisher:"Universidade Federal do Ceará" +contributor:("Maria Estela Aparecida Giro"). Showing records 1 – 3 of 3 total matches.

Search Limiters

Last 2 Years | English Only

No search limiters apply to these results.

▼ Search Limiters

1. Antonio Lima Farias Filho. UtilizaÃÃo de Reatores AerÃbios como PÃs-Tratamento de Lixiviado Antigo Tratado por Lagoas de EstabilizaÃÃo.

Degree: Master, 2010, Universidade Federal do Ceará

Os sistemas de lagoas de estabilizaÃÃo, bastante presentes em aterros sanitÃrios normalmente nÃo sÃo suficientes para o atendimento aos padrÃes ambientais de descarte de lixiviado tratado em Ãguas superficiais. Este trabalho avaliou o emprego das tecnologias aerÃbias do tipo reator aerado submerso (RAS) e reator em batelada seqÃencial (RBS) como opÃÃes de pÃs-tratamento para lixiviado antigo prÃ-tratado em lagoas de estabilizaÃÃo. A coleta do lixiviado se deu na saÃda da Ãltima lagoa de estabilizaÃÃo do sistema de tratamento de lixiviado (duas anaerÃbias em sÃrie, seguidas de uma facultativa) localizadas no Aterro SanitÃrio Metropolitano Oeste (ASMOC), municÃpio de Caucaia, RegiÃo Metropolitana de Fortaleza, estado do CearÃ. Inicialmente foi realizada uma caracterizaÃÃo fÃsico-quÃmica do lixiviado efluente e verificaÃÃo do atendimento aos padrÃes de descarte. O RAS foi operado em cinco fases, sendo divididas entre esgoto sintÃtico e lixiviado, este Ãltimo testado com e sem diluiÃÃo. Avaliou-se o efeito da adiÃÃo de fonte externa de carbono, etanol, para a fase em que o reator era alimentado com lixiviado sem diluiÃÃo. O RBS foi confeccionado em acrÃlico, em formato cilÃndrico, com um volume Ãtil de 5,0L, sendo inicialmente estudado o tempo de operaÃÃo de cada ciclo de 24 horas. Posteriormente, foram avaliados no RBS os tempos totais de ciclo de 12 e 48 horas, alÃm do efeito da adiÃÃo de etanol no desempenho do reator. Os reatores foram instalados no LaboratÃrio de Saneamento (Labosan) do Departamento de Engenharia HidrÃulica e Ambiental (DEHA) da Universidade Federal do Cearà (UFC). Eles foram operados na faixa mesofÃlica, com temperatura ambiente prÃxima de 27ÂC. Em relaÃÃo ao lixiviado tratado, os valores encontrados na caracterizaÃÃo fÃsico-quÃmica confirmam a recalcitrÃncia e complexidade do lixiviado, indicando que apenas as lagoas de estabilizaÃÃo, nÃo atendem plenamente os padrÃes de descarte. A presenÃa de compostos recalcitrantes e tÃxicos no lixiviado afluente ao RAS durante um dos perÃodos de investigaÃÃo causou diminuiÃÃo na remoÃÃo de DQO, mostrando efeito inibitÃrio nos microrganismos presentes no inÃculo. Entretanto, em outra fase de investigaÃÃo, tanto o RAS quanto o RBS se mostraram eficientes e estÃveis na remoÃÃo de DQO e nitrogÃnio amoniacal, mesmo tratando lixiviado sem diluiÃÃo. A adiÃÃo de etanol como fonte externa de carbono foi benÃfica para suprir as necessidades metabÃlicas microbianas, fazendo aumentar tanto a eficiÃncia global do RAS e RBS em termos de remoÃÃo de matÃria orgÃnica (DQO), assim como na estabilidade operacional dos mesmos. O RAS e o RBS foram tambÃm bastante eficientes no processo de nitrificaÃÃo. O estudo no RBS com os tempos de ciclo de 12, 24 e 48 h revelaram que nÃo houve diferenÃa entre os tempos em relaÃÃo à remoÃÃo dos constituintes analisados, fazendo com que se considerasse 12 h como tempo Ãtimo de ciclo, de forma a minimizar os custos com volume do reator e tempo de aeraÃÃo. Como conclusÃo geral do experimento pode-se dizer que o tratamento biolÃgico aerÃbio, tanto… Advisors/Committee Members: Francisco SuetÃnio Bastos Mota, Andrà Bezerra dos Santos, Maria Estela Aparecida Giro.

Subjects/Keywords: ENGENHARIA HIDRAULICA; Saneamento; Lagoas de estabilizaÃÃo; Reator Aerado Submerso (RAS), Reator em batelada sequencial (RBS).; Leachate, Stabilization ponds, Post-treatment, Submerged Aerated Reactor (SAR), Sequencing Batch Reactor (SBR).

Record DetailsSimilar RecordsGoogle PlusoneFacebookTwitterCiteULikeMendeleyreddit

APA · Chicago · MLA · Vancouver · CSE | Export to Zotero / EndNote / Reference Manager

APA (6th Edition):

Filho, A. L. F. (2010). UtilizaÃÃo de Reatores AerÃbios como PÃs-Tratamento de Lixiviado Antigo Tratado por Lagoas de EstabilizaÃÃo. (Masters Thesis). Universidade Federal do Ceará. Retrieved from http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=5743 ;

Chicago Manual of Style (16th Edition):

Filho, Antonio Lima Farias. “UtilizaÃÃo de Reatores AerÃbios como PÃs-Tratamento de Lixiviado Antigo Tratado por Lagoas de EstabilizaÃÃo.” 2010. Masters Thesis, Universidade Federal do Ceará. Accessed April 24, 2019. http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=5743 ;.

MLA Handbook (7th Edition):

Filho, Antonio Lima Farias. “UtilizaÃÃo de Reatores AerÃbios como PÃs-Tratamento de Lixiviado Antigo Tratado por Lagoas de EstabilizaÃÃo.” 2010. Web. 24 Apr 2019.

Vancouver:

Filho ALF. UtilizaÃÃo de Reatores AerÃbios como PÃs-Tratamento de Lixiviado Antigo Tratado por Lagoas de EstabilizaÃÃo. [Internet] [Masters thesis]. Universidade Federal do Ceará 2010. [cited 2019 Apr 24]. Available from: http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=5743 ;.

Council of Science Editors:

Filho ALF. UtilizaÃÃo de Reatores AerÃbios como PÃs-Tratamento de Lixiviado Antigo Tratado por Lagoas de EstabilizaÃÃo. [Masters Thesis]. Universidade Federal do Ceará 2010. Available from: http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=5743 ;

2. Darlane Wellen Freitas de Oliveira. ProduÃÃo de biossurfactantes por Bacillus subtilis LAMI005 utilizando suco de caju clarificado.

Degree: Master, 2010, Universidade Federal do Ceará

O objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial do microrganismo Bacillus subtilis LAMI005 em produzir biossufactantes utilizando suco de caju clarificado como fonte de carbono. A capacidade de produÃÃo do microrganismo foi avaliada com um ensaio preliminar utilizando meio mineral como meio e cultivo, tendo glicose e frutose padrÃo analÃtico como fonte de carbono. Posteriormente avaliou-se a influÃncia da variaÃÃo nas concentraÃÃes da fonte de carbono, utilizando suco de caju clarificado como substrato, mantendo a concentraÃÃo da suplementaÃÃo da fonte de nitrogÃnio constante com 1,0 g.L-1 de (NH4)2SO4. Realizou-se estudo cinÃtico para avaliaÃÃo da viabilidade de bioconversÃo do substrato utilizado em um produto de valor agregado, a surfactina bem como o tipo de metabÃlito formado. O ensaio com meio mineral, com concentraÃÃes iniciais de ART de 40,87 g.L-1 a maior concentraÃÃo de biomassa e surfactina obtidas foram de 2,5 g.L-1 137 mg.L-1 respectivamente,com 72 horas de ensaio. A menor reduÃÃo da tensÃo superficial do meio rico em surfactina foi em torno de 27,0 dina.cm-1, representando 55% de reduÃÃo. O pH permaneceu numa faixa de 6,0 - 7,0. Variando a fonte de carbono tendo concentraÃÃes iniciais de ART de 12,71 g.L-1, 22,92 g.L-1, 48,96 g.L-1, 65,04 g.L-1, 96,10 g.L-1 e 40,65 g.L-1 + 0,1% de soluÃÃo de micronutrientes, a maior produÃÃo de surfatina obtida foi no ensaio com concentraÃÃo de ART de 22,92 g.L-1 atingindo o valor de 372,56 g.L1 em 48 horas. A maior concentraÃÃo de biomassa alcanÃada para os ensaios com variaÃÃo nas concentraÃÃes iniciais de ART foram de 2,05 g.L-1, 5,3 g.L-1, 7,49 g.L-1, 8,6 g.L-1, 8,4 g.L-1 e 7,14 g.L-1 respectivamente, para as concentraÃÃes de ART supracitadas. Todos os ensaios apresentaram carbono residual ao final do processo, pH chegando a valores muito Ãcidos de atà 4,0, mostrando-se estÃvel na faixa entre 6,0 e 7,0 apenas no ensaio com concentraÃÃo de ART 96,10 g.L-1. O surfactante produzido apresentou boa capacidade emulsificante, em torno de 50%, em hidrocarbonetos como querosene e Ãleo de soja e formaram emulsÃes estÃveis, atingindo valores em torno de 2,0 U. Os ensaios fermentativos variando a concentraÃÃo da fonte carbono apresentaram velocidade especÃfica mÃxima de crescimento (μxmÃx) semelhantes. As velocidades especÃficas de crescimento (μx), de consumo de substrato (μs) e de produÃÃo de biossurfactante (μp) correlacionaram-se muito bem, podendo entÃo afirmar que a formaÃÃo do produto à um metabÃlito primÃrio e està associada ao crescimento. O modelo matemÃtico aplicado aos ensaios fermentativos ajustou-se bem aos dados experimentais, comprovando a viabilidade da bioconversÃo do substrato em um produto de valor agregado, a surfactina.

The purpose of this study was evaluate the biosurfactants potential production of the microorganism Bacillus subtilis LAMI005 using clarified cashew apple juice as carbon source. The microorganism production capacity was evaluated with preliminary test using mineral medium as inoculum and cultivation, and glucose…

Advisors/Committee Members: Maria Estela Aparecida Giro, Everaldo Silvino dos Santos, Luciana Rocha Barros GonÃalves.

Subjects/Keywords: ENGENHARIA QUIMICA; Bacillus subtilis; Clarified cashew apple juice, Bacillus subtilis, biosurfactant.; Suco de Caju

Record DetailsSimilar RecordsGoogle PlusoneFacebookTwitterCiteULikeMendeleyreddit

APA · Chicago · MLA · Vancouver · CSE | Export to Zotero / EndNote / Reference Manager

APA (6th Edition):

Oliveira, D. W. F. d. (2010). ProduÃÃo de biossurfactantes por Bacillus subtilis LAMI005 utilizando suco de caju clarificado. (Masters Thesis). Universidade Federal do Ceará. Retrieved from http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=6846 ;

Chicago Manual of Style (16th Edition):

Oliveira, Darlane Wellen Freitas de. “ProduÃÃo de biossurfactantes por Bacillus subtilis LAMI005 utilizando suco de caju clarificado.” 2010. Masters Thesis, Universidade Federal do Ceará. Accessed April 24, 2019. http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=6846 ;.

MLA Handbook (7th Edition):

Oliveira, Darlane Wellen Freitas de. “ProduÃÃo de biossurfactantes por Bacillus subtilis LAMI005 utilizando suco de caju clarificado.” 2010. Web. 24 Apr 2019.

Vancouver:

Oliveira DWFd. ProduÃÃo de biossurfactantes por Bacillus subtilis LAMI005 utilizando suco de caju clarificado. [Internet] [Masters thesis]. Universidade Federal do Ceará 2010. [cited 2019 Apr 24]. Available from: http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=6846 ;.

Council of Science Editors:

Oliveira DWFd. ProduÃÃo de biossurfactantes por Bacillus subtilis LAMI005 utilizando suco de caju clarificado. [Masters Thesis]. Universidade Federal do Ceará 2010. Available from: http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=6846 ;

3. Maria Valderez Ponte Rocha. ProduÃÃo de Biossurfactantes por FermentaÃÃo Submersa usando Substrato NÃo Convencional.

Degree: Master, 2007, Universidade Federal do Ceará

Este trabalho teve como objetivo avaliar a produÃÃo de biossurfactante por cepas de Pseudomona aeruginosa e Bacillus subtilis, utilizando suco de caju, integral e clarificado, como matÃria-prima nÃo convencional. Nos ensaios com P. aeruginosa ATCC 10145 em mesa agitadora, avaliou-se a suplementaÃÃo do suco de caju integral (CAJN) com Ãleo de soja, como fonte de carbono, e com diferentes fontes de nitrogÃnio: peptona, NaNO3 e (NH4)2SO4, sendo estes resultados comparados com os obtidos utilizando caldo nutritivo e com meio CAJN. A maior reduÃÃo na tensÃo superficial (41 %) foi obtida no suco de caju suplementado com peptona (CAJP) apÃs 24 h de cultivo. Neste ensaio, observou-se uma reduÃÃo da tensÃo superficial do meio de 50 para 29,5 dina cm-1. Jà em meio suplementado com NaNO3 e (NH4)2SO4, obteve-se, respectivamente, uma reduÃÃo na TS de 37,14 e 15,85% apÃs 72 horas de cultivo. Estudou-se a suplementaÃÃo do meio CAJP com glicerol e Ãleo de soja. Nestes ensaios, observou-se um alto crescimento celular, obtendo uma densidade Ãptica (a 600nm) de 5,0 com 48 h de cultivo, contudo uma pequena reduÃÃo da tensÃo superficial (16,51 %) ao utilizar glicerol. Com base nos resultados conduzidos em mesa agitadora, os meios CAJP e CAJNaNO3 foram selecionados para estudos em fermentador de bancada. Realizaram-se ensaios utilizando biorreator a 30ÂC, 200 rpm e sem aeraÃÃo, porÃm nÃo se observou o mesmo perfil de produÃÃo de ramnolipÃdeos ocorrido em mesa agitadora. Tal fato pode ter ocorrido devido à falta de oxigÃnio no meio de cultivo. Acompanhou-se a estabilidade tÃrmica, efeito da variaÃÃo de pH e da concentraÃÃo de NaCl, na atividade emulsificante do biossurfactante produzido em CAJP e sua composiÃÃo quÃmica. O biossurfactante produzido por P. aeruginosa demonstrou-se estÃvel a variaÃÃes de temperatura, pH e concentraÃÃes de NaCl, e emulsionou todos os hidrocarbonetos estudados e Ãleo de soja. Em paralelo, diferentes ensaios foram realizados visando otimizar o meio de cultivo para a produÃÃo de surfactina por B. subtilis usando CAJN e suco de caju clarificado (CAJC). Os melhores resultados foram obtidos quando se utilizou meio mineral suplementado com extrato de levedura e formulado com CAJC, de maneira que a concentraÃÃo de glicose fosse de 10 g.L-1. Nestes ensaios, obteve-se uma reduÃÃo de 21,37 % na tensÃo superficial e observou-se a presenÃa de surfactina atravÃs das anÃlises conduzidos em HPLC. No entanto, a mÃnima tensÃo superficial alcanÃada foi superior a 39 dina.cm-1. Portanto, avaliaram-se outras cepas de B. subtilis, doze ao total, quanto à capacidade de produzir surfactina utilizando CAJC. ApÃs 48 horas de cultivo com as cepas BE 08, a tensÃo superficial do meio de cultivo livre de cÃlulas atingiu 28,0  1,0 dina.cm-1, que tambÃm apresentou atividade emulsificante. Os resultados obtidos neste trabalho indicam que o suco de caju à uma matÃria-prima adequada para a produÃÃo de biossurfactantes.

The aim of this work was to investigate the use of natural and clarified cashew apple juice as an alternative raw material…

Advisors/Committee Members: Luciana Rocha Barros GonÃalves, Gustavo Adolfo Saavedra Pinto, Antonio Josà GonÃalves da Cruz, Maria Estela Aparecida Giro.

Subjects/Keywords: ENGENHARIA QUIMICA; Biossurfactantes; Suco de caju; Pseudomonas aeruginosa; RamnolipÃdeo; Bacillus subtilis e Surfactina; Biosurfactants, Cashew apple juice, Pseudomonas aeruginosa, Ramnolipid,Bacillus subtilis e Surfactin

Record DetailsSimilar RecordsGoogle PlusoneFacebookTwitterCiteULikeMendeleyreddit

APA · Chicago · MLA · Vancouver · CSE | Export to Zotero / EndNote / Reference Manager

APA (6th Edition):

Rocha, M. V. P. (2007). ProduÃÃo de Biossurfactantes por FermentaÃÃo Submersa usando Substrato NÃo Convencional. (Masters Thesis). Universidade Federal do Ceará. Retrieved from http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=2409 ;

Chicago Manual of Style (16th Edition):

Rocha, Maria Valderez Ponte. “ProduÃÃo de Biossurfactantes por FermentaÃÃo Submersa usando Substrato NÃo Convencional.” 2007. Masters Thesis, Universidade Federal do Ceará. Accessed April 24, 2019. http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=2409 ;.

MLA Handbook (7th Edition):

Rocha, Maria Valderez Ponte. “ProduÃÃo de Biossurfactantes por FermentaÃÃo Submersa usando Substrato NÃo Convencional.” 2007. Web. 24 Apr 2019.

Vancouver:

Rocha MVP. ProduÃÃo de Biossurfactantes por FermentaÃÃo Submersa usando Substrato NÃo Convencional. [Internet] [Masters thesis]. Universidade Federal do Ceará 2007. [cited 2019 Apr 24]. Available from: http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=2409 ;.

Council of Science Editors:

Rocha MVP. ProduÃÃo de Biossurfactantes por FermentaÃÃo Submersa usando Substrato NÃo Convencional. [Masters Thesis]. Universidade Federal do Ceará 2007. Available from: http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=2409 ;

.