Advanced search options

Advanced Search Options 🞨

Browse by author name (“Author name starts with…”).

Find ETDs with:

in
/  
in
/  
in
/  
in

Written in Published in Earliest date Latest date

Sorted by

Results per page:

Sorted by: relevance · author · university · dateNew search

You searched for +publisher:"Universidade Federal de Minas Gerais; UFMG" +contributor:("Teane Milagres Augusto da Silva"). Showing records 1 – 2 of 2 total matches.

Search Limiters

Last 2 Years | English Only

No search limiters apply to these results.

▼ Search Limiters

1. Tatiane Furtado de Carvalho. Desenvolvimento vacinal para prevenção e controle da brucelose.

Degree: 2018, Universidade Federal de Minas Gerais; UFMG

Exportado OPUS

Made available in DSpace on 2019-08-10T20:25:12Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tatiane_furtado_de_carvalho.pdf: 10996275 bytes, checksum: c2beda944251cbc307f69a5435d86aa9 (MD5) Previous issue date: 25

Brucelose é uma das principais doenças infecciosas de caráter zoonótico que resulta em significativas perdas econômicas para animais de produção. O controle e a prevenção da brucelose animal são em grande parte baseados na vacinação com cepas vivas atenuadas. Inicialmente, foram realizados estudos de meta-análise do campo de vacinologia de Brucella no camundongo e hospedeiros naturais preferenciais, com objetivo de avaliar de forma temporal o índice de proteção de diferentes categorias vacinais e a influência de diversas variáveis na proteção vacinal. A meta-análise no modelo murino estudou 117 publicações de vacinas experimentais indexadas no PubMed, totalizando 782 experimentos analisados, que demonstraram na análise temporal que não houve melhoria dos índices de proteção ao longo das últimas três décadas. O modelo de meta-regressão desenvolvido, incluiu as categorias de vacinas (atenuada, DNA, inativada, mutante, subunidade e vetorizada) considerando o índice de proteção como a variável dependente e os outros parâmetros (linhagem de camundongo, via de vacinação, número de vacinações, uso de adjuvante, desafio com espécies de Brucella) como variáveis independentes. As vacinas de subunidades e vetorizadas proporcionaram índices de proteção significativamente menores quando comparados com vacinas atenuadas. Outras variáveis influenciaram positivamente o índice de proteção, tais como duas imunizações e desafio com B. melitensis, B. ovis e B. suis, por outro lado, o uso de adjuvante não teve efeito significativo no índice de proteção. O estudo de meta-análise em hospedeiros naturais, avaliou 45 publicações indexadas no PubMed e Scopus, representando 116 experimentos individuais. Adotou-se como medida de proteção, o valor de diferença de risco, calculado baseado na prevenção de abortos e infecção em órgãos de animais imunizados e não imunizados. A análise temporal neste estudo demonstrou que não houve melhorias na proteção vacinal nas últimas décadas. O modelo de meta-regressão desenvolvido para os hospedeiros naturais, incluiu as categorias de vacinas (atenuada, inativada, mutante, subunidade e vetorizadas), considerando o valor de diferença de risco como a variável dependente. Algumas variáveis demonstraram influenciar a proteção vacinal, sendo a via de vacinação subcutânea significativamente mais protetiva do que a via intramuscular e oral, além da via subcutânea ter proporcionado maior valor de diferença de risco que a via conjuntival, quando utilizada no desafio. As vacinas de subunidades proporcionaram significativamente menor proteção, enquanto que as vacinas inativadas foram mais protetivas que as vacinas atenuadas. Foi desenvolvido um estudo avaliando a cepa mutante B. ovis abcBA como potencial vetor de múltiplos epítopos de Brucella preditos de células T. Este estudo avaliou a expressão in…

Advisors/Committee Members: Renato de Lima Santos, Tatiane Alves da Paixao, Daniella Castanheira Bartholomeu, Jenner Karlisson Pimenta dos Reis, Elaine Maria Seles Dorneles, Rodolfo Cordeiro Giunchetti, Teane Milagres Augusto da Silva.

Subjects/Keywords: mutante; vacina; vetor; Brucella; proteína quimérica; camundongo; hospedeiros naturais; Brucella; Vacina veterinária; Brucelose em animais Controle; Brucelose em animais Prevenção

Record DetailsSimilar RecordsGoogle PlusoneFacebookTwitterCiteULikeMendeleyreddit

APA · Chicago · MLA · Vancouver · CSE | Export to Zotero / EndNote / Reference Manager

APA (6th Edition):

Carvalho, T. F. d. (2018). Desenvolvimento vacinal para prevenção e controle da brucelose. (Doctoral Dissertation). Universidade Federal de Minas Gerais; UFMG. Retrieved from http://hdl.handle.net/1843/SMOC-B6WG4G

Chicago Manual of Style (16th Edition):

Carvalho, Tatiane Furtado de. “Desenvolvimento vacinal para prevenção e controle da brucelose.” 2018. Doctoral Dissertation, Universidade Federal de Minas Gerais; UFMG. Accessed May 08, 2021. http://hdl.handle.net/1843/SMOC-B6WG4G.

MLA Handbook (7th Edition):

Carvalho, Tatiane Furtado de. “Desenvolvimento vacinal para prevenção e controle da brucelose.” 2018. Web. 08 May 2021.

Vancouver:

Carvalho TFd. Desenvolvimento vacinal para prevenção e controle da brucelose. [Internet] [Doctoral dissertation]. Universidade Federal de Minas Gerais; UFMG; 2018. [cited 2021 May 08]. Available from: http://hdl.handle.net/1843/SMOC-B6WG4G.

Council of Science Editors:

Carvalho TFd. Desenvolvimento vacinal para prevenção e controle da brucelose. [Doctoral Dissertation]. Universidade Federal de Minas Gerais; UFMG; 2018. Available from: http://hdl.handle.net/1843/SMOC-B6WG4G

2. Auricelio Alves de Macedo. O transportador ABC espécie-específico e o sistema de secreção do tipo IV de Brucella ovis são essenciais para modulação do tráfego e sobrevivência intracelular em macrófagos ovinos.

Degree: 2016, Universidade Federal de Minas Gerais; UFMG

Exportado OPUS

Made available in DSpace on 2019-08-13T04:02:48Z (GMT). No. of bitstreams: 1 auricelio_alves_de_macedo.pdf: 3407810 bytes, checksum: 6063546863c4853348a81aac360d204e (MD5) Previous issue date: 2

Infecção por Brucella ovis é associada à epididimite, orquite e infertilidade em carneiros. As informações disponíveis sobre B. ovis e sua interação com células hospedeiras foram geradas com macrófagos murinos ou linhagens de células epiteliais humanas, mas a interação entre B. ovis e macrófagos primários ovinos nunca foi estudada. O objetivo deste estudo foi avaliar o papel do transportador ABC codificado pelo gene abcEDCBA de B. ovis e o sistema de secreção do Tipo IV (SST4) codificado pelo operon virB durante a sobrevivência intracelular de B. ovis em macrófagos derivados de monócitos do sangue periférico de ovinos. As cepas mutantes abcBA e virB2 de B. ovis foram incapazes de sobreviver no ambiente intracelular quando comparado com a cepa selvagem (WT) de B. ovis às 48 horas pós-infecção (hpi). Além disso, estas cepas mutantes não foram capazes de excluir o marcador lisossomal LAMP-1 da membrana de seus vacúolos e seus vacúolos não adquiriram o marcador de retículo endoplasmático calreticulina, ao passo que esse marcador estava presente no vacúolo contendo WT B. ovis. Níveis mais altos de produção de óxido nítrico (NO) foram observados em macrófagos infectados com WT B. ovis no tempo de 48 hpi quando comparados com macrófagos infectados com as cepas mutantes abcBA ou virB2. Por outro lado, níveis mais elevados de espécies reativas de oxigênio (ROS) foram detectadas em macrófagos infectados com os mutantes abcBA ou virB2 48 hpi quando comparados aos macrófagos infectados com a cepa WT. Nossos resultados demonstram que B. ovis é capaz de persistir e de se multiplicar em macrófagos ovinos, enquanto que mutações que provocam a perda de funcionalidade do transportador ABC e do SST4 impedem a multiplicação intracelular, favorecem a fusão do fagolisossoma e prejudicam a maturação do vacúolo de B. ovis para um compartimento com características de retículo endoplasmático rugoso.

Brucella ovis infection is associated with epididymitis, orchitis and infertility in rams. Information available on B. ovis and host cell interaction have been generated using murine macrophages or human epithelial cell lines, whereas the interaction between B. ovis and primary ovine macrophages has never been studied. The aim of this study was to evaluate the role of the B. ovis abcEDCBA-encoded ABC transporter and the virB operon-encoded Type IV Secretion System (T4SS) during intracellular survival of B. ovis in ovine peripheral blood monocyte-derived macrophages. B. ovis abcBA and virB2 mutant strains were unable to survive in the intracellular environment when compared to the WT B. ovis at 48 hours post infection (hpi). In addition, these mutant strains cannot exclude the lysosomal marker LAMP-1 from its vacuolar membrane, and their vacuoles did not acquire the endoplasmic reticulum marker calreticulin, which takes place in…

Advisors/Committee Members: Renato de Lima Santos, Tatiane Alves da Paixao, Juliana Pinto da Silva Mol, Francisco Carlos Faria Lobato, Erica Azevedo Costa, Olindo Assis Martins-filho, Teane Milagres Augusto da Silva.

Subjects/Keywords: Ovino; LAMP-1; Brucella ovis; Macrófago; Calreticulina; Ciência animal

Record DetailsSimilar RecordsGoogle PlusoneFacebookTwitterCiteULikeMendeleyreddit

APA · Chicago · MLA · Vancouver · CSE | Export to Zotero / EndNote / Reference Manager

APA (6th Edition):

Macedo, A. A. d. (2016). O transportador ABC espécie-específico e o sistema de secreção do tipo IV de Brucella ovis são essenciais para modulação do tráfego e sobrevivência intracelular em macrófagos ovinos. (Doctoral Dissertation). Universidade Federal de Minas Gerais; UFMG. Retrieved from http://hdl.handle.net/1843/SMOC-AKFHJA

Chicago Manual of Style (16th Edition):

Macedo, Auricelio Alves de. “O transportador ABC espécie-específico e o sistema de secreção do tipo IV de Brucella ovis são essenciais para modulação do tráfego e sobrevivência intracelular em macrófagos ovinos.” 2016. Doctoral Dissertation, Universidade Federal de Minas Gerais; UFMG. Accessed May 08, 2021. http://hdl.handle.net/1843/SMOC-AKFHJA.

MLA Handbook (7th Edition):

Macedo, Auricelio Alves de. “O transportador ABC espécie-específico e o sistema de secreção do tipo IV de Brucella ovis são essenciais para modulação do tráfego e sobrevivência intracelular em macrófagos ovinos.” 2016. Web. 08 May 2021.

Vancouver:

Macedo AAd. O transportador ABC espécie-específico e o sistema de secreção do tipo IV de Brucella ovis são essenciais para modulação do tráfego e sobrevivência intracelular em macrófagos ovinos. [Internet] [Doctoral dissertation]. Universidade Federal de Minas Gerais; UFMG; 2016. [cited 2021 May 08]. Available from: http://hdl.handle.net/1843/SMOC-AKFHJA.

Council of Science Editors:

Macedo AAd. O transportador ABC espécie-específico e o sistema de secreção do tipo IV de Brucella ovis são essenciais para modulação do tráfego e sobrevivência intracelular em macrófagos ovinos. [Doctoral Dissertation]. Universidade Federal de Minas Gerais; UFMG; 2016. Available from: http://hdl.handle.net/1843/SMOC-AKFHJA

.